webmailnotíciasfotosesportessaúde
 
Notícia postada em 05/01/2011
Produção industrial cai 0,1% em novembro, mostra IBGE
Entre os ramos pesquisados, 12 tiveram queda e 14, avanço. Na comparação com mesmo período de 2009, houve avanço de 5,3%.
Elton Fontes
Do E8, em São Paulo
Imprimir  
 
A produção industrial no país registrou recuo de 0,1% em novembro, na comparação com outubro, mês que registrou ligeira alta, de acordo com levantamento divulgado nesta quarta-feira (5) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Na comparação com o mesmo período de 2009, o avanço foi de 5,3%, segundo mostra a Pesquisa Industrial Mensal. O desempenho deste mês levou o indicador acumulado no ano a uma taxa de 11,1%. Até outubro, a taxa era de 11,8%. Nos últimos 12 meses, o indicador ficou em 11,7%.
De todos os tipos de atividade pesquisadas em novembro, na comparação com o mês anterior, 12 ramos tiveram queda. O destaque ficou com setor de alimentos, que caiu pela terceira vez. No período, o recúo foi de 2,1%, acumulando perda de 6,1%. Também mostraram resultados negativos a produção dos setores de máquinas e equipamentos (-1,1%), farmacêutica (-2,0%), outros produtos químicos (-1,1%) e veículos automotores (-0,5%).
Já entre os 14 ramos que registraram avanços, o destaque ficou com refino de petróleo e produção de álcool (3%), máquinas, aparelhos e materiais elétricos (7,2%), máquinas para escritório e equipamentos de informática (9,3%), edição e impressão (2,7%) e indústrias extrativas (1,6%). Apenas um ramo de atividade ficou estável.
Sobre 2009
Em relação ao mesmo período de 2009, o IBGE constatou aumento em 24 dos 27 setores pesquisados, com maior destaque para o de veículos automotores (14,2%), de indústrias extrativas (11,5%), de produtos de metal (15,8%), de outros produtos químicos (5,7%), de outros equipamentos de transporte (16,5%), de edição e impressão (7,1%) e de máquinas e equipamentos (4,3%).
Na contramão, foram observadas quedas, na comparação com o mesmo período de 2009, os setores de material eletrônico e equipamentos de comunicações (-11,4%), têxtil (-5,7%) e calçados e artigos de couro (-5,5%).


 
 
 
 
 
Nome:
Cidade:
Comentários: