Página Inicial Contato

  Web Mail

  Página Inicial

  Histórico

  Orgão Executivo

  TV Sampaio

  Seu Processo

  Agenda

  Informativo

  Base Territorial

  Comissão Conciliação

  Galeria de Fotos

  Convênios

  Farmácia

  Atendimento
Histórico

Como surgiu o Sindicato da Alimentação

De acordo com o artigo 588 da Consolidação das Leis Trabalhistas, aprovada pelo decreto lei nº 5.452 de maio de 1943, consta no livro dois, pagina 199, da Delegacia Regional do Trabalho em São Paulo, o certificado de registro da Associação Profissional dos Trabalhadores nas Indústrias do Arroz, Açúcar, Torrefação e Moagem de Café, Refinação de Sal, Panificação e Confeitaria, Cacau e Balas, Laticínios e Produtos derivados, Massas Alimentícias e Biscoitos, Cervejas e Bebidas em Geral, Azeite e Óleos Alimentícios, Carnes e Derivados de Marília, datada de 3 de fevereiro de 1953 e que teve  sua diretoria constituída pelos seguintes membros: João Cunha, presidente; Adelino Domingos de Oliveira, vice-presidente; Vicente Rufino, 1º Secretário; Antonio Mangolim Cravo, 2º secretário; Onofre Grigolli, 1º tesoureiro e  Sebastião de Assis, 2º tesoureiro.

Esta associação, permaneceu trabalhando até 22 de Junho de 1961, quando foi realizado na rua 4 de Abril, nº 441 assembléia geral com a presença de 281 trabalhadores, para discutir a transformação de associação para Sindicato e, ao mesmo tempo excluir a categoria de cervejas e bebidas, uma vez que já tinha sindicato representando esse setor. No dia seguinte à assembléia, o então presidente João Cunha, encaminhava para delegacia do Trabalho o pedido de registro como sindicato.

Um ano depois, Adelino Domingos de Oliveira que era vice-presidente, assume o cargo de presidente da entidade e permaneceria nele até junho de 1967, quando a Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação do Estado de São Paulo, a pedido de trabalhadores de Marília, elege uma Junta Governativa, para conduzir os destinos da entidade.

Em 1968, o Juiz Federal Laurindo Minhoto Neto, entendendo que o Sindicato não vinha satisfazendo as condições legais relativas a seu funcionamento, decreta a dissolução da entidade.

TODA DIRETORIA DA ENTIDADE É CASSADA E POR UM PERIODO DE 12 ANOS, A CIDADE FICA SEM SINDICATO REPRESENTANDO ESTE SETOR. SURGE UMA NOVA ASSOCIAÇÃO.

Em 1980, Santino Rodrigues da Silva encabeça a chapa que seria eleita em assembléia na rua Nicolino Roseli, nº 22, criando a nova associação e que foi reconhecida em 31 de março do mesmo ano, pela Federação dos Trabalhadores nas Industrias de Alimentação do Estado de São Paulo e no asno seguinte, foi reconhecida como Sindicato, pelo então Ministro do Trabalho Murilo Macedo. Santino Rodrigues, ficou a frente da entidade por dois mandatos, sendo um como associação e outro como Sindicato passaram a ter uma entidade que permitia discutir com igualdade de condições suas reivindicações perante os patrões, obrigando estes de tratá-los, nas empresas, como pessoas dignas que o são. O Sindicato, já começa a crescer e um dos primeiros passos foi transferir sua sede para a rua São Luiz, nº1455. Como pagava aluguel, mudou posteriormente para rua XV de Novembro e bem depois para rua Taquaritinga, onde permaneceu até 1999, quando então concretizou o sonho de todos, inaugurar a sede própria do Sindicato. Em Novembro de 1984, Wilson Vidoto Manzon, então chefe de recursos humanos da Ailiram (hoje Nestlé), registrou uma chapa para concorrer nas eleições do Sindicato, que seria realizada em Janeiro de 1985.
Terminada a apuração, sua chapa foi a vitoriosa.
Assumiu a presidência do Sindicato e até hoje, pelos inúmeros feitos frente a entidade, incansável em suas lutas, sempre conseguindo o que almeja e mesmo com tantas dificuldades encontradas ao longo dos anos, tem sido reconhecido pela categoria e portanto permanece como presidente após 4 eleições.

O Sindicato da Alimentação surgiu para por fim à exploração dos trabalhadores, para discutir todos os problemas e dificuldades surgidas no trabalho, negociar e celebrar convenções coletivas, que garantem e fixam condições humanas de trabalho, justa remuneração e demais condições contratuais e ainda, para defender os direitos dos trabalhadores junto aos poderes políticos, também para tornar eficaz o exercício do seu direito de cidadão, graças a sua ação de educação cívica e política.

De quem é o Sindicato?

Administrado por uma diretoria, eleita pelos proprios trabalhadores, o Sindicato é um patrimônio dos próprios trabalhadores, é controlado pelos trabalhadores, é tanto maior quanto o valor daqueles que o compõem e seu valor aumenta na medida em que os trabalhadores participam ativamente da vida do Sindicato.

"Não haverá paz no mundo enquanto não houver justiça social para os trabalhadores" - Wilson Vidoto Manzon

No dia 11 de setembro, data em que completou 18 anos de fundação, foi inaugurado em Marília, a mais moderna sede sindical do interior. A solenidade que ficou gravada na memória da diretoria e todos os trabalhadores das indústrias de alimentação, contou com a ilustre presença do governador de São Paulo, Dr. Mário Covas, com o presidente da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação do Estado de São Paulo, Melquiades de Araújo, do Secretário do Trabalho Walter Barelli, do prefeito Abelardo Camarinha, vereadores, empresários e outras autoridades, bem como centenas de trabalhadores.

"Esta sede própria, sem duvida é uma das maiores obras ao logo de vários anos no movimento sindical", Wilson Vidoto Manzon

A nova sede

A nova sede do Sindicato é uma conquista social dos trabalhadores da Alimentação, assim não cansa de falar o presidente Wilson Vidoto Manzon. A obra teve inicio em 28 de janeiro de 1998, e contou com investimentos superior a R$ 500,00 mil. São 1.367 metros quadrados de área construída e 300 metros de estacionamento. O setor administrativo inclui salas da presidência, diretoria, departamento jurídico, contabilidade, centro de processamento de dados, sala de imprensa, salão social, 2 gabinetes odontológico com modernos equipamentos, consultório médico, sala de informática, secretária da mulher, auditório com capacidade para 55 pessoas, área para fumantes e uma moderna cozinha experimental, onde são ministrados cursos de confeitaria.

Atendimento ao trabalhador

Cursos gratuítos:
O Sindicato da Alimentação, ao longo dos últimos anos, tem dado uma atenção especial no setor de qualificação e requalificação dos trabalhadores. Milhares de pessoas já procuraram o sindicato e realizaram cursos gratuito nas áreas de Corte e Costura, Confeitaria, Básico em Informática, eletricista e analista de qualidade de alimentos. Dentro desse programa, foi construido o Centro de Solidariedade, com salas própria onde o aluno aprende na teoria e também na prática.

Encaminhamento ao trabalho:
Hoje, o número de pessoas desempregadas é muito grande e muitas dessas pessoas tem dificuldades em encontrar um novo emprego. Visando atender essas pessoas, o Sindicato, mantem um departamento onde observa o curriculo do candidato, faz uma entrevista e posteriormente encaminha para as empresas. O responsável por esse departamento é o diretor José Rita do Nascimento.

Orientações jurídicas

Diariamente os associados podem obter informações juridicias junto ao Sindicato. Basta entrar em contatos com o Dr. Carlos Roberto de Souza. Esse atendimento é totalmente gratuito.

Sempre na porta das empresas

Um sindicato atuante deve estar constantemente na porta das empresas. Procurando passar aos trabalhadores tudo aquilo que vem acontecendo, nossos diretores estão diariamente visitando as empresas e conversando com os trabalhadores.

Além do bate papo, é distribuido com frequência o informativo da entidade e ainda, panfletos sobre as negociações de cada setor.

Distribuição de alimentos

Outra atividade desenvolvida com muito carinho pelo Sindicato é a distribuição de alimentos aos desempregados. É arrecadado alimentos e, quando existe uma quantidade razoável, é transformado em cestas e depois entregue para famílias carentes que estejam desempregadas.

Construção de casas

Ainda na área social, o Sindicato construiu dois núcleos habitacional totalizando 217 moradias. Foram construidas no Jardim Alimentação 1 e II, e beneficiou familias que pagavam aluguel. Novos projetos neste sentido estão sendo feito e em breve outras moradias serão construidas para atender os trabalhadores das industrias de alimentação.

 

 
PREFEITURA MUNICIPAL DE SAMPAIO
Rua XX, 00 - CEP 00000-000 - Xxxxx XX - Fone: (XX) XXXX-XXXX


www.sistemapronto.net